Todos os dias, neste espaço, divulgo um poema da minha autoria para que a minha inspiração vos possa servir de guia.

Every day, in this space, I spread a poem of my authorship so that my inspiration can serve as a guide to all of you.

Receber poemas por / Receive poems by Email

Translate

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Na intimidade te revelas / In the intimacy you reveal yourself

Na intimidade te revelas
Mostras o que verdadeiramente és
Não consegues esconder as tuas imperfeições
Metes as mãos pelos pés.

Deixas de conseguir esconder,
Sem pudor começas te a revelar
Cai-te a máscara das aparências
Deixando de conseguir enganar.

Na intimidade te mostras
Índividuo de várias facetas
Socialmente te escondes
Iludes o mundo com tretas.

É a ti que mais iludes.
Já não dá para encobrir
É a ti próprio que mais enganas
E já não conseguindo fingir.

Sentada no El Corte Inglês (Sala de âmbito cultural)
no dia 16 de outubro de 2015,
escrito à mão
20h04



In the intimacy you reveal yourself
You show what you really are
You can’t hide your imperfections
You put your hands through the feet.

You stop aching to hide,
Shamelessly you begin to reveal yourself
It falls your mask of appearances
You leave to achieve deceiving.

In the intimacy you shows
Individual from various facets
Socially you hide
Misleading the world with crap.

It is you that you most deceiving.
Since you can’t cover-up
It is to yourself that more you fool
And you no longer manage to pretend.

Sitting on El Corte Ingles (cultural context Room)
on October 16, 2015,
handwritten

8: 04 p.m

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.