Todos os dias, neste espaço, divulgo um poema da minha autoria para que a minha inspiração vos possa servir de guia.

Every day, in this space, I spread a poem of my authorship so that my inspiration can serve as a guide to all of you.

Receber poemas por / Receive poems by Email

Translate

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Lisboa a terra que eu abandonei / Lisbon the land that I abandoned

Quatro anos já passaram
Desde que para Trás-os-Montes me mudei
Continuo a ter saudades de casa
E daquilo que para trás deixei.

O ar que por aqui se respira
É sem dúvida mais saudável
Os espaços verdes abundam
E a paisagem pode até ser mais agradável.

Por aqui a vida até é mais calma
E até tem maior qualidade,
Mas a cidade de Lisboa
Tem para oferecer uma maior diversidade.

Lisboa a terra que eu abandonei
Foi a mesma que me viu nascer
Por lá vivi 34 anos
E lá penso vir a morrer.

Por mais anos que viva
E se por estes lados continuar a viver
Lisboa será sempre a cidade do meu coração
E o lugar que me viu crescer.

Escrito: 17 de outubro de 2014
In Costa, Maria Leonor. Catarse das Palavras.


Four years have passed
Since for Tras-os-Montes I moved
I still get homesick
And of what I left behind.

The air we breathe here
It is certainly healthier
Green spaces abound
And the scenery can be even more enjoyable.

Here life is even quieter
And have higher quality,
But the city of Lisbon
Has to offer a larger diversity.

Lisbon the land that I abandoned
It was the same where I was born
I lived there for 34 years
And there I think I will die.

For more years that I live
And if in these parts I continue to live
Lisbon will always be the city of my heart
And the place that saw me grow.

Written: October 17, 2014
In Costa, Maria Leonor. Catharsis of Words.
 

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.